Criatividade: a habilidade dos profissionais do futuro

profissionais-do-futuro-e-criatividade

Lembra de quando você era criança? Isso pode ter acontecido há 10 ou 30 anos, não importa. O que sabemos é que o mundo era diferente. Claro: mudanças acontecem a toda hora e esse é o princípio básico da vida.

Quando pensamos no futuro e em nossa vida profissional, também estamos falando em mudanças. O que essas mudanças e inovações podem provocar e demandar? Essa pode ser uma preocupação recorrente, pois é nesse local - o do campo profissional - em que muitas pessoas colocam expectativas, propósito, e significado de vida.

Entender mais sobre o tipo de profissional que você é, ajuda no seu autoconhecimento, a saber sobre seus pontos fortes e fracos para saber como melhor se adaptar. Nesse sentido, ficar por dentro do que vai ser exigido no futuro no que tange às atividades profissionais também é uma grande vantagem.

Quais são as principais habilidades que serão exigidas do profissional do futuro, sobretudo daqueles que querem inovar? E como você pode adaptar-se?

Conheça algumas delas e entenda porque você só tem a ganhar quando resolve dar um gás na criatividade. 

Afinal, o que é ser um profissional do futuro e quais habilidades desenvolver? 

 O profissional do futuro é aquele que entende que o sucesso do seu trabalho está além das habilidades técnicas. É preciso desenvolver habilidades socioemocionais, que hoje em dia tem um peso muito maior no momento de contratação do que as habilidades mais "duras". Os profissionais de RH trabalham com esse conceito, mais conhecido como soft skills.

Quando se fala de soft skills, estamos falando sobre habilidades que não podem ser automatizadas e são intuitivas, ou seja, somente seres humanos podem entregar.

Como profissional, você deve atentar-se a habilidades como: ensinar, comunicar-se bem, ter boas conexões, saber buscar o contexto das situações e se beneficiar dessa visão maior. São habilidades como essas que nenhuma tecnologia vai conseguir dar conta.

Em agosto de 2019, um pouco antes da pandemia que mudou de vez muitos aspectos das relações humanas (inclusive as relações de trabalho), o Fórum Social Mundial publicou um relatório em que listava as dez habilidades que seriam buscadas nos profissionais do futuro.

A lista está baseada em mudanças contextuais da chamada Quarta Revolução Industrial e, segundo a instituição, nos próximos quatro anos elas serão o grande e competitivo diferencial a ser considerado na vida corporativa. São elas:

1.Capacidade de resolver problemas complexos: essa habilidade fala sobre antecipar-se e resolver problemas de uma forma não pensada antes.

2. Pensamento crítico: é muito fácil enviesar nossas decisões pelas nossas vivências. Assim, quem tem o pensamento crítico consegue subverter essa lógica, aumentando sua capacidade de avaliação e posicionamento diante de diferentes situações. O pensamento crítico garante mais autonomia ao profissional.

3. Flexibilidade cognitiva: é pensar estratégias diferentes para chegar a um objetivo. Isso significa redirecionar o pensamento quando um problema se apresenta e você não pode resolvê-lo da mesma forma de sempre. E acontece o tempo todo, a gente nem nota. Essa habilidade é desenvolvida no lobo-frontal do cérebro e vai se aprimorando ao longo da vida, chegando a seu ápice entre 35 e 40 anos.

4. Gerenciamento de pessoas: o treinamento de pessoas e o seu gerenciamento significa estimular um time para que todos os projetos sejam entregues da melhor forma. Essa capacidade otimiza tempo e gera melhorias constantes.

5. Liderança: saber trabalhar em grupo, coordenar e saber receber feedbacks são características de um bom líder. A liderança vai além de alcançar metas com um time comprometido, ele tem o papel de inspirador e motivador da equipe.

6. Inteligência emocional: a inteligência emocional é um conjunto de habilidades emocionais e sociais. Ter essa capacidade possibilita com que nos relacionemos com os outros e conosco de forma mais saudável.

7. Capacidade de tomar decisões e ter bom julgamento: essa habilidade nos torna mais responsáveis pelas consequências de nossas decisões e dá ao profissional a possibilidade de errar menos.

8. Orientação para servir: servir ao outro é uma das habilidades mais difíceis de serem desenvolvidas. Para isso deve-se ter sempre em mente: "o sucesso do cliente é o meu sucesso".

9. Negociação: saber tirar o melhor para as partes envolvidas. É necessário que o profissional do futuro desenvolva empatia e comunicação assertiva para ir além da expectativa de lucrar de forma positiva com uma situação. Quando um bom negociador atua, todo mundo sai ganhando.

10. Criatividade: essa talvez seja a ferramenta que vai relacionar todas as outras habilidades. A criatividade é, tanto na vida profissional quanto na pessoal, a possibilidade de inovar, ver novas soluções, criar novos mundos. Vamos falar sobre ela.

Além dessas, são também importantes até 2025 Programação Resiliência, Raciocínio Lógico, Análise e avaliação de sistemas, Experiência do Usuário.

Por que a criatividade é uma das habilidades mais requeridas do profissional do futuro?

A criatividade é essa habilidade que muda todas as perspectivas numa mesa de reunião e em uma decisão importante no trabalho. Ela que abre portas para as invenções, e gera novos produtos, serviços e negócios.

No entanto, é bem comum profissionais temerem a criatividade. Isso porque assim como ela abre espaço para novas possibilidades de solucionar problemas, ela também abre espaço para bloqueios e crítica externa.

Ser criativo é um ganho que também tem um custo: estar à mercê do julgamento alheio. Não é à toa que muitos profissionais que têm ideias sensacionais guardam seus pensamentos para si mesmos com medo de retaliações. Mas, a gente garante: vale a pena desenvolver esse lado criativo.

Por que a criatividade é uma das habilidades mais requeridas dos profissionais do futuro? A sociedade como um todo tem a ganhar: empresas, colaboradores e outras instituições sociais. Segundo uma pesquisa da IBM, feita em 2010, a criatividade é o atributo mais desejado por profissionais de alto escalão, quando o assunto é liderança.

Em um mundo VUCA, fica muito claro que inovação salva. Não é à toa que, em plena pandemia, pequenos empreendedores se reinventaram, pessoas que perderam seus empregos abriram novos negócios e muitos produtos e serviços até então físicos passaram a ser digitais - desde aquela lanchonete que virou delivery até a sala de aula que passou a fazer parte do seu universo online.

Agora, para estimular a criatividade, é importante que o profissional do futuro esteja aberto a hábitos que antes poderiam parecer não tão ortodoxos nem programados. 

Como ser um profissional mais criativo?

Bom, a criatividade não vem fácil. Na verdade, ela pode (e deve) ser estimulada, nutrida e incentivada desde a infância, período em que estamos começando a desenvolver nossa linguagem e forma de pensar. Mas nem sempre é o que acontece.

O que também não significa que você não pode desenvolver a criatividade na vida adulta. Principalmente no seu local de trabalho, essa habilidade tende a ser exigida. Aproveite o espaço e exercite.

Para se tornar um profissional mais criativo, é necessário buscar caminhos alternativos para fazer a mesma coisa, um pouco de ousadia e tempo. Sim, dê tempo para a sua cabeça pensar.

Para te ajudar nisso, também temos aqui algumas dicas:

Tenha referências diversas

Quanto mais imagens você vê, mais sons ouve, mais sabores sente, mais a sua criatividade fica, digamos assim, alimentada. Referências são importantes para qualquer processo criativo.

No livro "Lendo Imagens, o escritor Alberto Manguel analisa imagens de obras de arte sem os jargões de críticos desse universo, mostrando que as imagens podem ser lidas com a subjetividade de cada um.

Na obra, o autor lembra que o pensador Francis Bacon, em um ensaio, dizia que "todas as imagens que o mundo dispõe diante de nós já encontram-se encerradas em nossa memória desde o nascimento". Buscar referências é quase como buscar suportes que validem seus próprios pensamentos.

Se você trabalha com produtos para cabelo, por exemplo, não precisa só ler sobre a mais nova química para shampoos ou como vender para salões. Expanda, vá além. Busque referências onde outros profissionais não iriam.

Mas, faça também um recorte sobre o tema a ser explorado. É importante aprofundar-se.

Aprofunde-se: o mundo é seu

Quando você recortar o tema sobre o qual precisa fazer um debruçamento para criar, é hora de ir mais fundo. As referências serão cada vez mais importantes. Pesquise, registre, catalogue sua pesquisa e faça cruzamentos de possibilidades.

Possibilidade é uma palavra que deve fazer parte do seu vocabulário enquanto criativo. Só ter referências não é suficiente, é importante fazer novas conexões. E você só consegue isso aprofundando-se.

Quanto mais você for em frente, mais conexões conseguirá fazer e novas ideias irão surgir. Não se limite. 

Acredite em si mesmo

Acreditar nas próprias ideias pode ser difícil, principalmente quando falamos de profissão. No entanto, essa deve ser a condição de partida para qualquer pessoa que queira ser o profissional do futuro.

Ter novas ideias demanda esforço. Soltá-las no mundo demanda coragem. Assim, após buscar referências, aprofundar-se no seu campo e fazer novas conexões, acredite. Confie no seu poder inovador: o mundo precisa das suas ideias.

Dê uma cara nova às reuniões

Na hora de colocar as ideias na mesa de reuniões, permita que a criatividade lidere o grupo. Se normalmente a reunião é feita num espaço físico determinado, convide o grupo para ir a outra sala, outro ambiente. Em home office, faça novas interações, dinâmicas e horários alternativos.

Não olhe o problema, olhe o contexto e a solução

 

A criatividade demanda ampliação do olhar. Se você tem um problema a resolver, olhe para ele contextualmente, assim, a criatividade encontra espaço para novas soluções. Por exemplo, se na sua empresa há números que estão caindo e a solução óbvia é trocar o fornecedor, pense no impensável olhando para todos os setores envolvidos. Será que uma rotação de funções não resolveria?

Dê espaço ao pensamento difuso 

Pensamento difuso é o pensamento que está no campo da imaginação. Ele não faz conexões racionais diretas e nos permite também percorrer observando diferentes aspectos de uma mesma situação, com ideias que vêm à revelia.

Falamos um pouco sobre ele em um de nossos textos do blog. Leia abaixo:

Invista na sua criatividade profissional

 Assim como cursos dentro da sua área de atuação devem estar no seu caderninho de investimentos, aprender sobre habilidades não-técnicas também deve.

Aqui na Faber-Castell lançamos alguns cursos para profissionais que querem se destacar aprendendo mais sobre novas habilidades e também para pessoas que querem empreender Quer aprofundar a sua habilidade criativa? Conheça o curso Criatividade na Prática:


​Ah, se quiser ir além, conheça também nossos novos cursos de UX e Design Thinking. Mais uma mãozinha para você se tornar aquele profissional do futuro!

 

Comentários 2

Visitante - Nathália Hilário em Quarta, 03 Março 2021 07:32

Olá, tudo bem? Parabéns pelo conteúdo. Muito importante termos um espaço para nos atualizar e encontrar dicas de onde buscar estes conteúdos.
O mundo já está vivenciando o BANI, onde a ideia de volatilidade/fragilidade é ainda maior.
Por isso, a importância de estarmos sempre antenados ao que está acontecendo é primordial.

Grande abraço.

Olá, tudo bem? Parabéns pelo conteúdo. Muito importante termos um espaço para nos atualizar e encontrar dicas de onde buscar estes conteúdos. O mundo já está vivenciando o BANI, onde a ideia de volatilidade/fragilidade é ainda maior. Por isso, a importância de estarmos sempre antenados ao que está acontecendo é primordial. :) Grande abraço.
Visitante - Idalina Paes em Domingo, 14 Março 2021 10:46

Excelente!

Excelente!
Visitante
Sexta, 23 Julho 2021