Como UX e a empatia vão gerar novas experiências para mais pessoas?

ux ux

Você já se deparou com criações tão focadas na sua experiência que pareciam saber exatamente o que você estava pensando? Ou, então, com casos em que a tecnologia ajudou você a resolver algum problema da sua rotina? Isso não foi mágica!

Por trás do que parece ser uma simples interface, há diversos profissionais pensando, de forma empática, essencialmente no que você precisava no momento de acessá-la. Esse é um conceito cada vez mais necessário em novos projetos. E um dos principais aliados para isso tem nome: User Experience (UX).

O UX é uma abordagem muito utilizada para direcionar os processos criativos para trazer maior satisfação ao cliente. Ele é tradicionalmente aplicado em projetos de soluções digitais, como sites, apps e sistemas.

Mas, muito se engana quem pensa que o User Experience é utilizado apenas no ambiente digital. Ele pode ser estendido para as mais diferentes áreas. Quando lançamos mão desse recurso somos capazes de gerar experiências incríveis para outras pessoas.

Quer saber mais sobre o tema? Continue lendo e tire suas dúvidas!

O UX é o melhor aliado para projetos criativos empáticos

O UX diz respeito à Experiência do Usuário. Um termo que nasceu no Design e tem o objetivo de focar em como aquele usuário utilizará determinado projeto, gerando uma experiência otimizada. É um conceito multidisciplinar, que abrange questões do design, psicologia, storytelling, design thinking, entre outros.

Seus benefícios são:

  • maior satisfação do cliente ou usuário;
  • maior lembrança deles sobre o produto ou serviço;
  • melhor imagem ou experiência de marca (da sua empresa ou a sua própria como artista ou profissional criativo)
  • maior taxa de fidelização, entre outros.

Ele foca, essencialmente, em empatia, pois para que os especialistas possam gerar essa sensação é fundamental colocar-se no lugar do usuário. Assim, constantemente, os responsáveis pelo desenvolvimento do projeto devem se perguntar: "o que meu cliente fará com esse projeto? Quais caminhos ele vai percorrer em busca de uma solução? E como essa solução pode ser útil para ele?".

Dá para pensar o UX para além do digital?

 Hoje, o UX é aplicado fortemente na área digital. Mas, você sabia que ele não é restrito somente a isso? As áreas voltadas para inovação, de modo geral, podem utilizá-lo como recurso para aplicar a diversificação de projetos criativos. 

Por exemplo, ao criar uma obra de arte interativa, é preciso considerar alguns pontos como: de que forma as pessoas terão contato com a peça? O processo é intuitivo para o público? Quero despertar qual tipo de emoção? Dessa forma, para trabalhar com criação é necessário ter em mente todos os pontos de contato do público, com o seu projeto, ou com a obra que você tem em mente.

5 passos para começar o seu UX

A adoção do UX nos mais diferentes projetos pode ser feita seguindo um passo a passo. Ele auxilia na orientação da criatividade, potencializando a inovação. Veja a seguir.

  1. Adote um plano para migrar sua criação para UX;
  2. Pesquise sobre UX e aprenda com grandes nomes da área;
  3. Faça cursos para aprender sobre UX;
  4. Desenvolva as habilidades necessárias para adoção do UX (habilidades de pesquisa, gerenciamento visual, empatia, saber trabalhar em equipe, entre outros);
  5. Monte um portfólio de UX.

Além disso, o Design Thinking pode ser um aliado para ter estratégias de UX mais efetivas, principalmente, por conservarem algumas similaridades. Trazer as etapas dele para seus projetos pode permitir melhores resultados. Veja a seguir os 5 passos do Design Thinking:

  1. Empatia: quando você coloca os usuários no centro do processo, pensa em suas expectativas e demandas, é possível orientar melhor o processo criativos, antecipar e propor a solução de problemas que eles enfrentam;
  2. Definição: também conhecida como "análise", essa fase é quando entendemos qual é o atual cenário e coletamos informações que nos permitam gerar insights posteriores;
  3. Ideação: momento de pensar fora da caixa e propor as soluções que você deseja resolver ou criar para o seu cliente;
  4. Protótipos: são versões simplificadas do que você está criando. Podem ser itens de alta ou baixa fidelidade. Servem para oferecer materialidade para a próxima etapa;
  5. Testes: você fará testes para identificar se o seu cliente terá dificuldades no uso do seu produto ou serviço. É possível, assim, fazer as correções necessárias, caso encontre algum empecilho nessa etapa, e essa por suas vez, geram novas soluções que podem servir como otimização para o projeto criativo como um todo. 

UX e o Mapa da Empatia

Foto: RD Station

O mapa da empatia é orientador para os produtores criativos. Por meio dele, é possível entender e priorizar as demandas dos usuários. Pense nele, literalmente, como um fio condutor que orienta todo o seu processo de criação.

Ele é pensado a partir de quatro quadrantes a serem preenchidos. Todos eles são construídos tendo como foco o seu usuário. Ele auxilia a ter uma visão mais próxima dele nos seguintes aspectos:

  • Dizer: representa tudo que ele verbaliza. Por exemplo: "não achei bom determinado ponto";
  • Pensar: representa tudo que ele pensa durante o processo de contato. Nem sempre tudo que ele pensa será dito. Por exemplo, ele pode pensar que está perdendo muito tempo no processo e não dizer;
  • Fazer: representa o que seu usuário está fazendo com o seu produto ou serviço. Esse é um ponto importante para avaliar se ele está enfrentando dificuldades no processo;
  • Sentir: representa o que ele sente, ou seja, o estado emocional durante a interação com a sua criação.

O UX traz um maior potencial criativo para as suas atividades. Permite que você possa ir além no processo criativo da forma como você o realiza. Ainda, leva a conquistar a atenção e, até mesmo, um vínculo emocional do usuário com a sua criação.

A Faber-Castell sempre tem o objetivo de surpreender os clientes por meio de processos criativos de impacto. E queremos auxiliar você a criar, tal como nós, com toda a experiência que temos com essa metodologia.

Afinal, a criatividade tem várias formas e você pode direcionar esses processos por meio das técnicas de UX Design. Ao entrar nesse universo de possibilidades, você entenderá como a empatia será uma peça-chave para olhar sua obra por meio do "olhar e da experiência do outro".

Então, que tal aprimorar seus conhecimentos sobre o tema? Conheça nosso curso sobre UX Design e torne a experiência dos seus clientes ainda melhor! 

04 Mai 2021
Educação
Criatividade
Blog
Você já se deparou com criações tão focadas na sua experiência que pareciam saber exatamente o que você estava pensando? Ou, então, com casos em que a tecnologia ajudou você a resolver algum problema da sua rotina? Isso não foi mágica!Por trás do que...
20 Abril 2021
Blog
Criatividade
 Para ler ouvindo: Blues Classics"Saia da zona de conforto! Não tenha medo de se arriscar e errar… Inclua novas experiências à sua rotina… Simplesmente comece!" são algumas das dicas e técnicas que se encontram quando se busca desenvolver a cria...
19 Abril 2021
Blog
Criatividade
"Aprenda a fazer... Fazendo" poderia ser uma boa forma de definirmos o que é a cultura maker, que vem revolucionando os espaços educacionais e de trabalho há mais de 50 anos.Com o surgimento dos primeiros computadores pessoais, ainda na década de 70,...
12 Abril 2021
Blog
Criatividade
Arte
A criatividade está, como qualquer outra habilidade humana, em pleno e contínuo desenvolvimento. Por estar ligada a absolutamente tudo aquilo que fazemos em nosso dia a dia, é fundamental que estejamos em contato com ferramentas que podem estimular, ...
30 Março 2021
Blog
Criatividade
O termo Design Thinking já está por aí há décadas, tanto em escolas de criativos quanto em mesas de reunião. Um processo que busca por inovação e criatividade para resolver problemas e que gera soluções incríveis. E o melhor: ser um design thinker nã...
 

Comentários

Visitante
Domingo, 09 Mai 2021