Como evitar o bloqueio criativo

bloqueio-criativo

 Tic-tac, tic-tac, tic-tac...já estava há duas horas ali e nada. Aquela famosa "tela em branco" de que tanto falavam e que nunca tinha surgido, finalmente apareceu. Apesar de não ter nada escrito ou desenhado sobre ela, aquele branco parecia gritar, em letras garrafais: BLOQUEIO CRIATIVO.

Essa poderia ser a história de qualquer pessoa cujo trabalho ou hobby possa estar envolvido com a criatividade. Mas não só. E poderia ser a sua história também. Quem nunca passou pela famigerada "tela em branco" que levante a mão.

Ter muito a dizer e não conseguir organizar as ideias acontece com todo mundo. Os motivos do bloqueio criativo podem ser muitos - e individuais. A boa notícia é que existem formas de evitá-lo e, se ele chegar, há formas de driblá-lo também. Vamos mostrar como.

Como o bloqueio criativo fazem suas ideias não parecerem suas

Sim, ele é o grande vilão dos artistas, profissionais criativos e também daqueles que estão em um dia comum no trabalho. Quando se passa por esse momento, é muito comum a sensação de que as nossas ideias não são nossas, de que tudo que produzimos até então é irrisório, confuso ou não faz sentido. E esse sentimento prejudica muito a resolução de um problema, e consequentemente, a sua produção. Mas lembre-se: isso é apenas um estado emocional.

Artistas, atletas, escritores, empresários e profissionais que têm carreiras muito competitivas podem passar por isso. E é como uma bola de neve: a falta de ideias chega e você acha que sua cabeça já não funciona como antes… e assim nos deparamos dentro de uma bolha com o sentimento de "Socorro, eu não consigo sair daqui!".

Nesse momento é preciso ter muita calma. Você vai se questionar e sentir que não é bom o suficiente. No entanto, confiar no processo é mais importante que nunca, agora. Existem motivos para o bloqueio criativo aparecer.

Por que eu não consigo me expressar?!

As ideias estão na sua cabeça e você sabe! Mas, existem situações que podem fazer com que elas fiquem, digamos, presas no caminho de saída para o mundo exterior. Alguns dos motivos podem ser:

Medo: 

Sim, você pode estar com medo simplesmente. E, pode parecer que não, mas isso é muito potente. Medo de ter sua ideia rejeitada, medo de não ser bom o suficiente, medo de não conseguir entregar.

É um sentimento difícil de transpor, mas lembre-se: grandes gênios foram rejeitados inúmeras vezes. Monet foi recusado por anos em exposições do Salão de Paris, os Beatles foram pela Decca Records e Steve Jobs foi demitido da sua própria empresa. Vá em frente!

Perfeccionismo:  

Melhor o feito do que o perfeito. Provavelmente, você já ouviu essa frase. Se você é um aspirante a artista profissional, por exemplo, e está em frente a uma tela, só quer uma coisa: dar o seu melhor. E é aí que pode começar o problema.

A sua barra pode estar muito alta, ou seja: você só vai terminar quando considerar o trabalho perfeito. Desse jeito, qualquer entrega fica prejudicada. A dica é: faça, revise, entregue e peça o feedback de alguém. A sua técnica pode ir se aprimorando aos poucos, até você chegar ao ideal imaginado, mas lembre-se: isso faz parte da jornada. 

Falta de Repertório: 

Um dos motivos de o bloqueio criativo chegar é ter poucas referências. Referências são seus grandes amigos para ter grandes ideias.

No livro Roube como um artista, Austin Kleon levanta o questionamento sobre a originalidade das ideias. E sobre como um verdadeiro artista - e aí colocamos também profissionais criativos - tem a grande missão de fazer uma releitura de ideias que já existem. Ter referências e criar novos caminhos é uma grande sacada para se distanciar do bloqueio criativo.

Distração e desorganização: 

Whatsapp, Tik Tok, LinkedIn, Facebook, Instagram, Pinterest, Clubhouse, notícias, notícias, plim, plim, plim...isso é mais ou menos o que a maioria de nós vive diariamente com nossos smartphones, um prato cheio para a distração.

Além disso, com tantas informações, organizar-se é cada vez mais difícil. Você já parou para pensar quantas vezes mexe no seu celular por dia? Sim, é difícil evitar distrações, mas ficar longe do celular, isolar-se durante o processo de criação são passos do caminho certo para manter-se no foco e, finalmente, criar. Não se esqueça que no processo criativo você precisa escutar a si mesmo, logo, evite as interrupções.

Um chega pra lá no bloqueio criativo: como evitá-lo em 6 passos

Agora que você sabe alguns motivos do bloqueio criativo, saiba que existem formas tanto de evitá-lo quanto de solucioná-lo rapidamente, quando ele começar a dar as caras.

Um roteiro definido: estabeleça metas 

Primeiramente, organize-se! Você já viu que desorganização é um prato cheio para criar o bloqueio criativo. Então, vamos lá:

  • Planner;
  • Agenda online;
  • Notificações no celular (esse "plim" pode!);
  • Apps para organização de ideias.

Use e abuse de ferramentas que temos hoje em dia para estabelecer objetivos diários, semanais, mensais. Tem uma substância que o bloqueio criativo adora para se alimentar: prazo. Quanto mais apertado, mais parece que o bloqueio aumenta. Então, conheça o seu mapa de datas e horários, não os deixe apertar e vença essa batalha!

Revisite o que você já fez e suas referências também

Aquela sensação de insuficiência que citamos lá em cima pode chegar antes ou depois do bloqueio criativo. Então, uma forma muito eficaz de evitar é estar sempre próximo do que você já criou e também das referências que escolheu.

Sabe aquele texto antigo, a pintura que fez há 3 anos, o processo que desenhou na empresa em que trabalhou há alguns anos? Esteja sempre próximo(a) dos seus feitos, isso vai lembrar você de onde você veio e apontar o caminho para onde precisa ir.

Para evitar o bloqueio criativo: dê poder à sua intuição

Você já sabe o que fazer, só ainda não está consciente disso. Existe muito o que explorar quando o assunto é criatividade, e muito disso não é de ordem racional.

No livro clássico O Poder do Subconsciente, o psicólogo Joseph Murphy fala que "Se você pensar coisas boas, acontecerão coisas boas. Se pensar coisas más, acontecerão coisas más. É assim que sua mente funciona."

Muitas vezes, quando agimos de forma intuitiva, sem pensar muito, dando mais espaço a pensamentos difusos do que a pensamentos concretos (falamos um pouco mais sobre isso no aqui nesse texto), estamos empoderando nossa originalidade. Pense menos, sinta mais. E dê a sua intuição o poder que ela merece. 

Organize os seus pensamentos

Você já tem domínio das suas ideias, agora é hora de organizá-las. E isso vem antes de usar ferramentas como as que citamos para estabelecer metas. Aqui, estamos falando de ter muito claro o que você quer.

É comum que mentes muito criativas tenham ideias, ideias, ideias… sem fim. Uma boa forma de organizar todas elas é criar mapas mentais. O mapa mental, basicamente é um conjunto de informações conectadas que formam um diagrama sobre um determinado assunto central e te ajuda a entender o que está em volta da sua questão ou desafio.Hoje é possível encontrá-los até mesmo em apps que podem facilitar o trabalho, como Coogle, Mind Mapr, Mind Meister, entre outros.

Mantenha corpo e mente ativos

Pode parecer clichê, mas a máxima mente sã, corpo são é verdadeira e também amiga da sua criatividade. Quando nos exercitamos estamos concentrados em nós mesmos, nossas reações, nossa respiração etc.

Mantenha uma rotina de exercícios que estejam de acordo com o seu perfil: se você tem muita energia, vá nos exercícios que gastam tudo isso. Se você é naturalmente mais tranquilo(a), vá de exercícios mais leves.

Quando você se exercita está liberando endorfina, um hormônio que age no sistema nervoso central, melhora o humor e inibe o estresse. Além de fazer com que o sangue circule melhor e as funções cognitivas sejam beneficiadas.

A prática deve ser como uma meditação, para promover um encontro feliz com as suas ideias!

Faça um diário de ideias

Aqui é legal você tomar notas, desenhar, fazer colagens e usar notas autoadesivas sobre o que fez para cuidar da sua criatividade naquele dia, além de adicionar as ideias que parecem mirabolantes e surgem aleatoriamente.

No seu diário de ideias, você pode anotar:

  • O que você fez de criativo naquele dia;
  • Qual habilidade treinou;
  • Como se expressou de forma criativa;
  • O que fez de forma diferente (algo que nunca tenha feito antes);
  • Qual referência visitou;
  • E ideias aleatórias (elas podem fazer sentido depois de alguns dias).

Até os seus sonhos podem entrar no diário de ideias! É um diário só seu, um documento em que você vai colocar tudo que vier à sua cabeça. Uma mão na roda, quando as ideias parecerem não surgir. Um diário de consulta.

Em nosso curso Criatividade na Prática falamos mais sobre esse Diário de Criatividade e entramos de cabeça no mundo da criação.

Que tal entender melhor a sua criatividade e dar a ela os caminhos certos para se expressar: vai ser muito mais fácil dominar esse monstrinho do bloqueio criativo! Faça esse convite a si mesmo e se surpreenda com os resultados.



Leia também:

Aprendizagem criativa: como adultos e crianças devem aprender sem medo de errar

 

Comentários

Visitante
Sábado, 17 Abril 2021